quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Brasileiro terminou nos gramados. Começa a disputa do Tapetão.

Transparência e organização no futebol

Terminou o brasileirão 2013. Só nos gramados. Agora começa o turno ou a competição no STJD. Mais uma vez a polêmica vai para a apreciação dos doutores de chuteiras.

Não dá pra admitir ou no mínimo compreender que uma entidade como a Confederação Brasileira de Futebol até hoje não tenha conseguido criar um mecanismo que de fato coloquem os clubes em condição de igualdade dentro e fora de campo. Dá até a impressão que é armadilha proposital.

Estamos diante de denúncia, que ainda será apresentada pelo STJD, contra a Portuguesa e Flamengo, por uso de jogadores que não possuíam condição de jogo nas partidas finais do campeonato.

Se o fato for adiante a Lusa pode ir para a segunda divisão, por ter se utilizado de jogador suspenso na partida contra o Grêmio. Pelo regulamento perde o ponto ganho no empate e mais três. Com isso o Fluminense escaparia da degola.

A mesma situação envolve o Flamengo. Mas se for considerado culpado ainda assim ficará a um ponto da zona de rebaixamento. Então não mudará nada, ao contrário da sofrida Lusa, do Manoel da Lupa, que parece não ter enxergar tão longe quanto os seus adversários cariocas.

Não consigo imaginar como os clubes, haja vista que isso já é praticamente corriqueiro na história do futebol brasileiro, ainda não tenham exigido que a CBF que lá esta para servir os clubes e organizar competições e a seleção brasileira, ainda não tenham exigido da entidade uma trabalho e um serviço específico.

Todos sabem que um jogador adquirido por um clube só pode ser utilizado quando o seu nome sai no BID (Boletim Informativo Diário).

Ora, seria tão complicado a CBF publicar no site e mesmo na súmula eletrônica das partidas a relação dos atletas de cada equipe que estão sem condição de jogo para aquela data?

Por que não criam esse serviço?

Esse suporte acabaria com os títulos e descensos disputados no Tapetão.

Saudações Corinthianas!
Ernesto Teixeira – A voz da Fiel: Torcedor corinthiano; sócio, intérprete e compositor da Gaviões (8.005); sócio do Corinthians (305.216); suplente a conselheiro do Corinthians; idealizador do Comitê de Preservação da Memória Corinthiana (CPMC); colaborador da Rádio Coringão; membro da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (ACEESP) e da Associação Brasileira dos Cronistas Esportivos (ABRACE).
Formado em Gestão Desportiva e de Lazer pela Faculdade Drummond